Conheça tudo sobre o implante contraceptivo

Você já pensou em um método contraceptivo com alta eficácia, de longa duração, reversível e que não precisa ser lembrado todos os dias?

Conheça tudo sobre o método contraceptivo que veio para revolucionar a vida da mulher.

Como funciona?

Com cerca de 3cm de comprimento, o implante é colocado no tecido subcutâneo do braço. Ele possui um reservatório que libera gradativamente na corrente sanguínea o hormônio progesterona, impedindo a ovulação. Ele também age no muco cervical, deixando-o mais espesso, dificultando a entrada dos espermatozoides no útero da mulher.

Como é colocado?

O procedimento é feito com anestesia local em consultório, por um médico ginecologista.

Após a região na parte interna do braço estar anestesiada, o profissional introduz o implante com a ajuda de uma agulha especial. Uma vez inserido, vida normal.

O melhor período para ser colocado é dentro de 7 dias após o início do ciclo menstrual. Se for colocado fora desse prazo, será necessário usar outro método não hormonal (de barreira) nos próximos 7 dias.

Toda mulher pode usar?

Depende. Antes da colocação é preciso que o ginecologista faça alguns exames para analisar se a mulher está apta a recebê-lo.

Como fica a menstruação?

Um efeito colateral comum do implante é a mudança no padrão de sangramento, podendo torná-lo mais leve, mais intenso ou cessando-o por completo, o que é chamado de amenorreia (ausência da menstruação).

Quanto tempo dura?

Após colocado, o implante contraceptivo tem duração de 3 anos. Após esse período é preciso fazer a troca, pois o reservatório de hormônio já não é suficiente para evitar uma gravidez.

Implante & Amamentação

O implante anticoncepcional é um dos métodos contraceptivos que pode ser usado durante a amamentação, pois seu princípio ativo é a progesterona, hormônio que não interfere na produção ou qualidade do leite materno.

Indicações:

  • Quem esquece ou não quer controle diário, semanal ou mensal dos outros métodos.
  • Mulheres que tenham contraindicações a anticoncepcionais a base de estrógeno.
  • Mulheres que sofrem com os sintomas da TPM.
  • É apropriado para as adolescentes (recomendado pela OMS).
  • Mulheres no pós-parto em fase de amamentação, pois não prejudica a produção do leite.

Contraindicações:

  • Gravidez ou suspeita de gravidez.
  • Distúrbio tromboembólico venoso ativo.
  • Presença ou histórico de tumor hepático (benigno ou maligno).
  • Presença ou histórico de doença hepática grave, enquanto os valores dos testes de função hepática não retornarem ao normal.
  • Presença ou suspeita de malignidades sensíveis a esteroide sexual.
  • Sangramento vaginal não diagnosticado.
  • Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer componente do implante.

E depois?

O implante pode ser retirado a qualquer momento, lembrando apenas que esse procedimento deve ser feito por um médico ginecologista, assim como foi inserido.

Uma vez fora do organismo, o efeito contraceptivo passa rapidamente e logo ocorre o retorno da fertilidade, se tornando possível engravidar novamente.

Quanto custa?

A partir de R$ 2.300,00. Irá depender do tipo e da dose a serem implantados, fatores que serão analisados por meio de exames pelo ginecologista.

Onde colocar?

Nós realizamos esse procedimento na clínica. Agende uma consulta com nossos especialistas e converse melhor sobre o assunto.

Rua Edward Joseph, 122, 5º andar, Morumbi, São Paulo/SP

(11) 3744-1374

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *