O QUE É?

É uma doença infecciosa considerada grave pois ao atacar o nosso corpo, compromete a memória imunológica, deixando o organismo comprometido para reagir à outras infecções.

SINTOMAS

  • Febre alta acompanhada de tosse
  • Irritação nos olhos
  • Coriza
  • Mal-estar
  • Manchas avermelhadas na pele começando na área do rosto

COMPLICAÇÕES

O Sarampo pode causar algumas complicações, desencadeando outras doenças que podem ser fatais. Em crianças, as principais complicações apresentadas são pneumonia, otite e encefalite aguda. Em gestantes, a doença pode causar parto prematuro ou o bebê pode nascer com baixo peso.

TRANSMISSÃO

A transmissão do vírus ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. É uma doença altamente contagiosa. Uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

A transmissão ocorre entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo.

PREVENÇÃO

A principal forma de prevenção do sarampo é por meio da vacinação. Os critérios vacinação analisam aspectos como idade, características clínicas da doença, ocorrência anterior da doença durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos. 

Desde o período de surto, o Ministério da Saúde está mandando doses extras da vacina para diversos municípios do Brasil. A recomendação é que crianças de 6 a 11 meses tomem a vacina, a chamada “dose zero”.

Dose zero: devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).

Primeira dose: crianças que completarem 12 meses (1 ano).

Segunda dose: aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.

Casos especiais

• Tomou apenas uma dose até os 29 anos de idade: recomenda-se completar a imunização com a segunda dose da vacina.

• Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não lembra?

• De 1 a 29 anos – São necessárias duas doses.

• De 30 a 49 anos – Apenas uma dose.

Gravidez: a vacinação é contraindicada, pois a imunidade da mulher tende a diminuir nesse período. Como a vacina é produzida com o vírus vivo do sarampo (apesar de atenuado), a gestante pode desenvolver a doença ou complicações.

Quem não pode ser vacinado?

Pessoas com suspeita de sarampo, bebês com menos de seis meses idade, imunodeprimidos e mulheres grávidas. Nesse último caso, o ideal é tomar a vacina após o parto. Quem está planejando uma gestação, deve tomar até um mês antes de engravidar.

 

TRATAMENTO

Por se tratar de uma doença autolimitada, o tratamento é sintomático, ou seja, trata os sintomas. Além disso, o paciente deve também:

  • Fazer repouso;
  • Ingerir bastante líquido;
  • Comer alimentos leves;
  • Limpar os olhos com água morna;
  • Tomar antitérmicos para baixar a febre quando ela causa muito mal-estar.

Em alguns casos, há necessidade de tratamento para o aumento de imunidade.

Devido ao alto índice de contágio, no ano de 2019 foram registrados no Brasil mais de 13.000 casos confirmados.

Fontes:

•https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/sarampo

•https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/sarampo/